Dashboard de Gestão Fiscal – NFC-e

Última atualização em: 25 de junho, 2020

Neste artigo explicaremos brevemente sobre a funcionalidade de cada gráfico da extensão Dashboard de Gestão Fiscal – NFC-e. Cada gráfico exibe o período em que os dados estão sendo considerados, ou se os mesmos são online.

Documentos não compliance:

Todos os documentos e eventos emitidos para a NFC-e, que estejam com status diferente de autorizado, inutilizado, cancelado e denegado serão relacionados neste gráfico.

Situação FTP:

Para emissores que utilizam a exportação via FTP, será possível monitorar todos os FTPs configurados. Caso tenha algum problema será relatado qual CNPJ foi afetado por falha de comunicação com o FTP, ou falha na gravação de arquivos nas pastas.

Consumo Indevido

Este gráfico, irá exibir a quantidade de empresas do parceiro que estão com algum dos seguintes bloqueios: bloqueio InvoiCy, bloqueio SEFAZ, Rejeição Repetitivas, que ocorrem por consumo indevido do Web Service do InvoiCy ou SEFAZ.

Comunicação com a SEFAZ:

Informa o status da comunicação com o Web Service de autorização da SEFAZ, nas UF que o Parceiro possui emissores de NFC-e. A UF na cor cinza pode indicar que o parceiro não tem CNPJ emissor cadastrado, ou que nenhum dos CNPJ cadastrados emitiu NFC-e no período. Ao clicar na UF, será direcionado para uma tela que mostrará a latência da comunicação, em determinado período.

Empresas sem documento autorizado:

Os emissores que não tiverem nenhum documento autorizado no InvoiCy no dia anterior, e que na semana passada tiverem emissão nesse mesmo dia da semana, poderão ser relacionados como sem emissão. Isso permite ter uma visão genérica das empresas com possíveis problemas como certificado vencido, emissor sem conexão com o InvoiCy, bloqueio do emissor na SEFAZ, etc.

Ao clicar na empresa, será possível desabilitá-la do monitoramento geral do dashboard. Para incluir a empresa no monitoramento novamente, basta clicar no número “Desabilitadas do monitoramento” e ativar a empresa.

Contingência offline:

Apresenta o percentual geral de emissão de NFC-e em contingência Offline, permitindo identificar os CNPJs com maiores índices e quais os motivos da emissão em contingência.

Agendamentos pendentes:

Informação dos agendamentos solicitados pelos usuários das empresas emissoras e que estejam pendentes, ou que já foram processados e tiveram alguma falha.

Rejeições (Top 10):

Serão contabilizadas as rejeições finais que tiverem maior incidência, e assim permitir ao parceiro identificar possíveis erros em regras de negócio, configurações da aplicação, cadastros de empresas, cadastros de produtos, etc.

Falhas no envio de e-mail:

Agrupamento de todos os e-mails que tiveram falha no envio, devido a erro de endereço eletrônico ou no servidor de e-mail. Ao clicar no gráfico, será direcionado para a tela com os CNPJs e as quantidades de e-mail que não foram enviados.

Vencimento de certificados:

Relaciona os certificados dos emissores do parceiro próximos do vencimento, separados conforme as faixas de dias. Ao clicar no gráfico será direcionado para a tela com os certificados, exibindo quantos CNPJs estão atrelados a este certificado. Ao editar o certificado terá acesso para atualizar ou adicionar o mesmo para as empresas emissoras.

Integração Compliance NFC-e

Última atualização em: 06 de janeiro, 2020

Olá! Nesse artigo iremos explicar sobre a integração com a API para enviar as conciliações ao InvoiCy.

Para facilitar seu entendimento também criamos uma documentação de integração com o Postman, para acessá-la clique aqui.

Por questões de segurança, é necessário gerar um token para integração com a API.

1. Como gerar o token de segurança para o compliance NFC-e:

O token a ser utilizado nas requisições do compliance NFC-e deve ser gerado da seguinte forma:

{{ host-invoicy }} – o host do invoicy
{{ pk }} – chave de parceiro (partner-key)
{{ ck }} – Hash MD5 da chave de acesso com o corpo da requisição md5(chaveAcesso + body)
{{ cnpj  }} – CNPJ da empresa que quer gerar o token
{{ extensao }} – nome da extensão que se deseja o token (nesse caso ‘compliance-nfce’)

O tipo da resposta será: Content-Type: application/json

2. Como agendar a conciliação:

O cliente poderá fazer o agendamento da conciliação utilizando o token da seguinte forma:

{{ access-token }} – token gerado no passo 1
{{ pk }} – chave de parceiro (partner key)
{{ cnpj-raiz }} – CNPJ raiz da empresa
{{ data-inicial }} – data inicial do período a ser conciliado (YYYY-MM-DD)
{{ data-final }} – data final do período a ser conciliado (YYYY-MM-DD)
{{ modelo }} – modelo do documento (nfce)
{{ fuso }} – Fuso horário de onde está fazendo a requisição, ex: -0300 || -03:00

O tipo da resposta será: Content-Type: application/json

3. Como enviar documentos para conciliação:

O cliente terá 10 minutos para enviar o documento a ser conciliado, após esses 10 minutos o processo de conciliação será executado para o agendamento, se o cliente não enviar o documento antes dos 10 minutos será necessário repetir o passo 2.

  • O conteúdo do documento deve seguir a seguinte regra:

* Campos obrigatórios

– Para cada empresa:

1                            2

99999999999999|51d19cb4cfba20398cc3ff20b091f243

1 – CNPJ *
2 – hashMD5(cnpj + chaveAcesso) *

– Para cada documento:

1         2     3    4                 5                                                                                       6

99999|999|99|9999-99-99|99999999999999999999999999999999999999999999|S

1 – Número *
2 – Série *
3 – Modelo *
4 – Data de emissão (YYYY-MM-DD) *
5 – Chave de acesso (em caso de inutilização, não é necessário informar)
6 – Documento cancelado/inutilizado (S – sim)

Os dados devem ser separados por | (pipe)

Exemplo do conteúdo:

O documento deve ser um arquivo de texto (.txt) compactado (.zip) e enviado da seguinte forma:

{{ url }} – url recebida no passo 2
@documento.zip – arquivo binário

Retorno da requisição com status 200 em caso de sucesso.

4. Como consultar a conciliação:

A conciliação poderá ser consultada da seguinte forma:

{{ protocolo }} – Protocolo recebido no agendamento da conciliação
{{ access-token }} – token gerado no passo 1

Os retornos possíveis na consulta da conciliação seguem:

{{ url-divergencias }} – url contendo um arquivo com todas divergências da conciliação.

O conteúdo do arquivo de divergências será um arquivo de texto (.txt) no seguinte formato:

1                           2         3     4   5 6

99999999999999|99999|999|99|9|9

1 – CNPJ
2 – Número
3 – Série
4 – Modelo
5 – Status do documento InvoiCy
6 – Status do documento Cliente

Exemplo de retorno:

  • Status do documento

1 – INCONSISTENTE
0 – FALTANTE
2 – AUTORIZADO
3 – REJEITADO
5 – CANCELADO
6 – INUTILIZADO

{{ cnpjs-processados }}quantidade de CNPJ’s já processados (integer)

 {{ erro-conciliacao }} – mensagem informando qual o erro que ocorreu (string)

{{ data-processamento }} – data e hora do processamento (YYYY-MM-DDTHH:mm:ss.SSSZ)

Extensão InvoiCy Compliance NFC-e

Última atualização em: 06 de janeiro, 2020

Olá! Nesse artigo iremos explicar sobre a extensão ‘InvoiCy Compliance NFC-e’, que permite ao usuário comparar os dados gerados pelo Aplicativo Comercial do seu PDV com aqueles emitidos e armazenados no InvoiCy, possibilitando assim identificar eventuais inconsistências com o fisco.

As inconsistências existentes ainda serão exibidas em gráficos e relatórios gerenciais, assim a sua empresa garante o compliance dos documentos de NFC-e e minimiza os riscos na hora de enviar seu SPED FISCAL.

O acesso para ativar a extensão pode ser realizado por meio dos atalhos disponibilizados na janela Extensões, localizado na parte superior direita da aplicação, como demonstrado no artigo Extensões do InvoiCy.

Na tela de extensões, ao clicar sobre a imagem relacionada ao InvoiCy Compliance NFC-e, abrirá uma nova tela contendo a aba ‘Visão geral’, que apresentará uma breve explicação sobre a extensão, com imagens de demonstração das telas.

Já na aba ‘Ativação’, como demonstra a imagem a seguir, serão apresentadas as empresas que o usuário tem acesso, podendo ativar ou desativar o uso da extensão. Também nessa tela o usuário poderá configurar para que a extensão seja ativada automaticamente no momento do cadastro de uma nova empresa, para isso, basta marcar a opção ‘Ativar automaticamente’. Também é possível ativar a extensão para todas as empresas já cadastradas, selecionando a opção ‘Ativar empresas listadas’.

Ao selecionar uma ou mais das empresas listadas a extensão já será ativada para as mesmas, e a aba ‘Ativação’ passará a se chamar ’Configurações’, permitindo ativar ou desativar o serviço para outras empresas sempre que necessário.

Também será apresentado um novo ícone na parte superior direita da aplicação, como demonstra a imagem a seguir. Através desse ícone é possível acessar a nova tela do InvoiCy Compliance NFC-e.

Agora que você já conhece a extensão e sabe como ativá-la, o passo seguinte é fazer a integração com a API para enviar as conciliações ao InvoiCy. Para saber o passo a passo que deve ser executado, e visualizar os modelos de integração leia a documentação Integração InvoiCy Compliance NFC-e.

Após fazer a integração e enviar os arquivos para conciliação, na tela Compliance NFC-e será exibido o gráfico com o agrupamento de todas as conciliações, apresentando os CNPJs por dia que estão em conformidade ou não, de acordo com o período do mês selecionado, sendo atualizado conforme cada conciliação realizada.

Ao clicar no ícone que está posicionado do lado direito do gráfico, será exibida uma lista com os agendamentos das conciliações. O período para exibição dos registros é de até 3 meses. Poderá exibir as conciliações que retornaram inconsistência ou não, utilizando o filtro ‘Ocorrências’. E também poderá filtrar pelo status da conciliação, através da opção ‘Situação’.

Quando houver ocorrências e a conciliação estiver processada, o usuário poderá fazer download dos relatórios, que poderá ser simplificado ou detalhado, no formato .PDF ou .XLS, para visualizar as devidas ocorrências.

O relatório simplificado possibilita ao cliente identificar de forma rápida quais divergências ocorreram nas conciliações enviadas, exibindo as seguintes colunas:

  • CNPJ analisado: CNPJs que constam no arquivo enviado para conciliação.
  • Período inicial: Data de emissão do primeiro sequencial do arquivo. 
  • Período final: Data de emissão do último sequencial do arquivo. 
  • Seq inicial: O primeiro sequencial do arquivo.
  • Seq final: O último sequencial do arquivo.
  • Série: Série do primeiro e último sequencial do arquivo.
  • Faltante InvoiCy: Identificação de quais sequenciais da faixa informada não estão no InvoiCy.
  • Faltante cliente: Identificação de quais sequenciais da faixa informada não estão no arquivo enviado.
  • Status diferente: Relacionar a quantidade de NFC-e que estão com status diferente no InvoiCy x arquivo enviado.
  • Conciliados fora do período: Relação da quantidade de NFC-e enviada fora do período enviado no momento do agendamento da conciliação, e que apresentou inconsistência como diferença no Status ou estar faltante no InvoiCy.

E através do relatório detalhado será possível verificar quais os sequenciais faltantes ou com diferença de status da respectiva conciliação. Com base nisso o usuário poderá corrigir os documentos, e enviar uma nova conciliação.

É importante destacar que quando houver diferença de status entre o sistema do cliente e o InvoiCy, por exemplo, no sistema do cliente o documento se encontra autorizado mas no InvoiCy o mesmo documento está cancelado, será apontada uma divergência na conciliação.

E quando houver documentos faltantes, tanto no cliente como no InvoiCy também será considerada como uma divergência, apresentando o status faltante nos relatórios.

Nota MS premiada – Como tratar o retorno do InvoiCy, para a impressão das dezenas no DANFE e DANFENFCE

Última atualização em: 26 de dezembro, 2019

O Estado de Mato Grosso do Sul deverá implementar o programa da Nota MS Premiada a partir de 01/01/2020, que visa fomentar a cidadania fiscal, estimulando o consumidor final a exigir do estabelecimento varejista a emissão de documento fiscal (no caso, Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica – NFC-e ou Nota Fiscal Eletrônica – NF-e) durante a aquisição de mercadorias, na expectativa de receber prêmios.

Ao solicitar o CPF no documento fiscal e este for autorizado na SEFAZ/MS, o consumidor irá receber impresso em seu DANFE ou DANFENFCE oito dezenas que darão direito ao consumidor a concorrer a prêmios.

O prazo para as dezenas serem impressas no DANFE e DANFENFCE, ainda está em discussão, porém tivemos um retorno da SEFAZ MS, informando que seria a partir do dia 01/02/2020.

Então para quem utiliza a DFW/DMF será necessário realizar a atualização nos PDVs até o dia 31/01/2020. A equipe Daruma já está trabalhando nesta atualização da DFW/DMF.

Para nossos parceiros que tratam da impressão do DANFE ou DNFENFCE, será necessário preparar suas aplicações para receber a mensagem de retorno do InvoiCy.

Nosso ambiente de homologação do InvoiCy já está preparado e foi criado um novo grupo no retorno chamado: MensagemSefaz. 

Nesse grupo irá constar o código e a descrição da mensagem retornada pelo governo. Para mais informações acesse o layout de envio e veja o novo grupo criado na aba ‘Retorno’. Lembrando que o nosso layout XSD de retorno também foi adequado para contemplar a criação desse novo grupo.

Mensagem de retorno

Abaixo um exemplo de quando retornar as dezenas:

NotaPremiada_MS

Para o parceiro que for tratar a impressão das dezenas, seguem abaixo as orientações:

Conforme publicado na RESOLUÇÃO/SEFAZ N° 3.062, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2019, Art. 2º Capítulo IV, alínea f:

f) a impressão de que trata as alíneas “d” e “e” deste inciso deve conter o nome do programa “NOTA MS PREMIADA”, as 8 (oito) dezenas geradas para a respectiva nota fiscal e o endereço eletrônico do Programa Nota MS Premiada, em linhas separadas e em negrito, conforme leiaute especificado abaixo:

NOTA MS PREMIADA
DEZENAS: ( 99 99 99 99 99 99 99 99 )
http://www.notamspremiada.ms.gov.br

O retorno do InvoiCy manterá os Pipes entre os textos para permitir a quebra de linha e atender ao layout de impressão.

Referente ao local de impressão no DANFE e DANFENFCE:

a) Local para constar a mensagem com as dezenas no DANFE da NF-e, deverá ser impressa na área “Reservado ao Fisco”.

b) Local para constar a mensagem com as dezenas no DANFE da NFC-e, que deverá ser impressa na “Divisão VIII – Área de Mensagem Fiscal”, logo abaixo da identificação da NFC-e (Divisão VII).

Observações Importantes:

Para quem utiliza a impressão gerada pelo InvoiCy não terá nenhum impacto. Apenas para quem gera a própria impressão.

As dezenas só serão retornadas para impressão no caso da NF-e, quando esta for autorizada com tpemis = 1 (emissão normal). As NF-e emitidas em contingência com tpemis = 4 (EPEC) e tpemis = 5 (FS-DA), a geração de dezenas só ocorrerá após a autorização da NF-e pela SEFAZ-MS, ou seja, não aparecerá no DANFE da NF-e, somente na consulta pública desse documento assim que ele for autorizado. 

OBS: Para as NF-e autorizadas com a tag tpemis=7 (SVC-RS – SEFAZ Virtual de Contingência do Rio Grande do Sul) não serão geradas dezenas, em função de o ambiente autorizador ser diverso da SEFAZ-MS.

Para NFC-e, as dezenas só serão retornadas para impressão no caso da NFC-e, quando esta for autorizada com tpemis=1 (emissão normal). As NFC-e emitidas em contingência com tpemis=9 (emissão em contingência off-line), a geração de dezenas só ocorrerá após a autorização da NFC-e pela SEFAZ-MS, ou seja, não aparecerá no DANFE da NFC-e, somente na consulta pública desse documento assim que ele for autorizado.

Cadastro de Informações do Responsável Técnico

Última atualização em: 05 de junho, 2019

A emissão de NF-e e NFC-e conta a partir de agora com um novo grupo para informar o responsável técnico pelo sistema, ou seja, a empresa desenvolvedora ou responsável pelo sistema emissor utilizado pelo contribuinte.

De acordo com publicação da NT 2018.005 v1.20, as UF de AL, AM, MS, PE, PR, SC e TO passarão a aceitar as informações do responsável técnico a partir de 07/05/2019. Já os campos ‘idCSRT’ e ‘hashCSRT’ do grupo de informações do Código de Segurança do Responsável Técnico, não tem uma data prevista para implantação.

No InvoiCy, essas informações poderão ser cadastradas através da tela de Parceiros, no Painel de Controle, como demonstrado na imagem.

A critério de cada UF, poderá ser solicitado para a empresa responsável um código de segurança, denominado de Código de Segurança do Responsável Técnico (CSRT), que também poderá ser informado nesta tela de Parceiro.

É possível também cadastrar esses dados via integração com o Web Service arecepcao. A imagem abaixo demonstra um exemplo do layout do XML que deve ser enviado. Você pode fazer download do exemplo XML clicando aqui, e também pode baixar o layout em Excel clicando aqui.

É importante destacar que para realizar o cadastro via Web Service deve-se gerar o código HASH em formato MD5, com as seguintes informações:

  • Para esse layout em específico deve-se utilizar a chave de acesso do Parceiro, que pode ser obtida na tela Parceiros do Painel de Controle, concatenando com todo o conteúdo contido dentro do grupo de tag <CadastroParceiro>. Copie a chave, mais todo o conteúdo (inclusive as tags).

Quando as informações do responsável técnico estiverem preenchidas na tela de Parceiros, ao efetuar a emissão de uma NF-e ou NFC-e o respectivo grupo será gerado no XML.

Mas também pode-se informar o grupo no layout de integração de envio da NF-e/NFC-e, seguindo o exemplo da imagem abaixo.

Para mais informações sobre o novo grupo, faça download do nosso layout em Excel. As alterações estão em destaque.

Correção automática de NFC-es rejeitadas emitidas em contingência offline

Última atualização em: 20 de março, 2020

O InvoiCy conta com a nova função de correção automática para documentos NFC-e rejeitados, e que foram emitidos em contingência offline, tanto pelo painel gerencial de suporte como pela tela inicial dos documentos. Essa nova alteração será permitida apenas para empresas que possuírem a extensão do painel de suporte ativa.

Quando ativado a extensão do painel de suporte para o parceiro, deverá automaticamente alterar para Sim o parâmetro de emissão “Empresa permite correção de documentos”, para todas as empresas desse parceiro, como demonstra a imagem abaixo.

empresa

Através do Painel gerencial de suporte o processo de correção estará disponível por meio da opção ‘Offlline Rejeitado’ do gráfico de Documentos não compliance.

Após acessar a opção Offline Rejeitado, é possível ver a quantidade de rejeições dos documentos NFC-e emitidos em contingência offline, agrupada inicialmente pelo tipo de rejeição, visualizando as empresas afetadas abaixo. A ordem das rejeições é decrescente pelo volume de incidências e também apresenta o volume de CNPJs afetados por cada rejeição. Assim, a empresa específica selecionada apresenta apenas os documentos relacionados a essa rejeição.

Se ao abrir os documentos de uma rejeição específica pelo painel gerencial de suporte existir o ícone destacado na figura abaixo, significa que aquela rejeição permite aplicar a correção automática. Caso contrário, a correção deverá ocorrer de forma manual, corrigindo documento por documento. Na tela de documentos, caso o painel estiver ativo para a empresa, se aplica o mesmo processo de correção.

Abaixo iremos demonstrar um exemplo de como ocorre todo o processo de correção automática para a rejeição “778 – Informado NCM inexistente”. No primeiro momento, além de identificar na listagem dos itens do documento qual item está rejeitado pela Sefaz, o sistema apresenta a mensagem “Clique aqui para corrigir no item” na rejeição apresentada no cabeçalho, direcionando para a pop-up de edição do item em específico. Essa ação somente será apresentada quando for identificado pela Sefaz o item com problema, conforme imagem abaixo.

Ao selecionar o item a ser corrigido, o sistema abre a tela de correção, permitindo ao usuário informar o NCM correto, dando sequência ao processo clicando em Salvar.

Após a correção da rejeição, a nota será reenviada e se autorizada, irá identificar outros documentos em que seja possível replicar esta mesma correção, onde a busca destes documentos segue uma regra específica para cada tipo de rejeição.

Após a identificação dos documentos, o processo irá realizar a correção automática reenviando os demais documentos com a correção aplicada no documento que foi autorizado. Antes de apresentar como concluído o processo da correção, é realizada uma validação dos documentos enviados para verificar se os mesmos já foram sincronizados com o painel gerencial de suporte.

Se eventualmente ocorrer erro 801 (Time out), 999 (Genérico), 656 (Consumo indevido), 108 ou 109 (SEFAZ em contingência), o processo de envio automático será abortado e irá mostrar ao usuário a mensagem retornada pela Sefaz.

O processo ainda permite que o envio das notas seja abortado durante o andamento da correção, onde nesse caso somente irá validar os documentos que já foram processados. Após concluir ou abortar o processo, a opção Visualizar é liberada ao usuário.

Caso após a execução do processo de Correção Automática ou mesmo durante o tempo em que o processo foi rodado e abortado, existirem documentos que foram rejeitados novamente, estes também poderão ser visualizados, como mostra a imagem abaixo.

Observação:

Caso a empresa não possuir configurada o CSC ou ID do Token disponibilizados pela SEFAZ, o sistema irá apresentar um alerta direcionando um link para a tela de configuração de emissão de NFC-e. O mesmo irá ocorrer quando há necessidade de atualizar o certificado da empresa, caso esteja vencido ou inexistente.

O processo de correção automática para documentos NFC-e rejeitados em contingência offline irá ocorrer para as seguintes rejeições:

778 – Informado NCM inexistente;

779 – Rejeição NFC-e com NCM incompatível;

725 – NFC-e com CFOP inválido (nItem:nnn);

882 – GTIN (cEAN) com prefixo inválido [nItem:999];

883 – GTIN (cEAN) sem informação [nItem:999];

611 – cEAN inválido;

395 – Endereço do site da UF da Consulta via QR Code diverge do previsto;

397 – Parâmetro do QR-Code divergente da Nota Fiscal;

462 – Código Identificador do CSC no QR-Code não cadastrado na SEFAZ;

464 – Código de Hash no QR-Code difere do calculado;

878 – Endereço do site da UF da Consulta por chave de acesso diverge do previsto;

391 – Rejeição: Não informados os dados do cartão de crédito / débito nas Formas de Pagamento da Nota Fiscal;

237 – CPF do destinatário inválido;

558 – Data de entrada em contingência posterior a data de recebimento. Irá realizar o processo de correção em massa somente para o CNPJ da empresa;

703 – Data-Hora de Emissão posterior ao horário de recebimento. Irá realizar o processo de correção em massa somente para empresas com CNPJs raiz.

Cancelamento de NFC-e por substituição

Última atualização em: 20 de março, 2019

Com a implementação da Nota Técnica 2018.004, torna-se possível a emissão do novo evento de cancelamento por substituição (EveTp = 110112) para NFC-e. Esse evento assemelha-se muito com o evento de cancelamento normal, sendo que o atual evento não sofreu nenhum impacto.

O emissor poderá solicitar o cancelamento de uma NFC-e, desde que seja emitida outra NFC-e em contingência para substituir essa primeira operação, respeitando o prazo máximo de 168 horas, o que pode variar para cada UF.

Na imagem abaixo demonstramos a estrutura desse novo evento. No campo ChaAcessoSubstituta, deve ser informada a chave de acesso do documento substituto, que deverá ser emitido com tpEmis 9, para não ocasionar rejeição do evento.

Para mais informações baixe nosso layout em Excel de envio de eventos, ou ainda um exemplo XML do envio do evento.

O processo de descarte de documentos do InvoiCy também foi adequado para emitir nesse novo evento 110112. Na sequência detalhamos algumas mudanças e particularidades. Para entender melhor o processo de descarte leia o artigo Descarte de documentos.

Para quem utiliza o layout de descarte por substituição, foram criados três campos novos, sendo eles: CNPJ_emit, nNFSubstituta, serieSubstituta.

Agora, ao enviar o descarte deve-se informar no campo nNFSubstituta e serieSubstituta, o número e série do documento que irá substituir o documento descartado. Veja na imagem abaixo o novo layout de integração.

Destacando que a nota substituída deve ser emitida com tpEmis 1, e a nota substituta deve ser enviada com tpEmis 9, caso contrário o evento será rejeitado. Para clientes que fazem uso desse layout de descarte, o InvoiCy irá tratar automaticamente o tpEmis da nota substituta.

O layout de descarte avulso, também conta com novos campos, sendo eles: NumeroSubstituta, SerieSubstituta, onde deve-se informar o número e série do documento substituto.

É importante destacar que a nota substituída deve estar emitida com tpEmis 1, e a nota substituta sempre deve ser enviada com tpEmis 9, caso contrário o evento será rejeitado. É de responsabilidade dos emissores que fazem uso desse layout controlar o tpEmis da nota substituta.

As principais validações da SEFAZ sobre o envio deste novo evento são:

– A nota substituída deve ser emitida com tpEmis 1, e a nota substituta deve ter tpEmis 9, caso contrário resultará na rejeição: 920 – Tipo de Emissão inválido no Cancelamento por Substituição;

– A data de emissão da nota substituta não pode ser maior que 2 horas da data de emissão da nota que será descartada/cancelada, ou resultará na rejeição: 915 – Data de emissão da NF-e Substituta maior que 2 horas da data de emissão da NFe a ser cancelada;

– A nota substituta sempre deve estar com status Autorizado, caso contrário o evento de cancelamento não será enviado, e resultará na rejeição: 913 – NF-e Substituta Denegada ou Cancelada.

Simulação em contingência Offline – InvoiCy Conector

Última atualização em: 30 de novembro, 2018

Olá! Neste artigo abordaremos como realizar testes de emissão em contingência de NFC-e no modo offline, via InvoiCy Conector.

Inicialmente, vale destacar que esta contingência só será permitida quando a SEFAZ estiver offline, ou quando houver algum problema de comunicação entre InvoiCy e SEFAZ. Caso o estabelecimento do emissor estiver sem comunicação com o InvoiCy, seja por indisponibilidade de internet ou qualquer outro problema técnico, a contingência offline não será permitida. Para que esta modalidade de emissão funcione, é necessário ao menos que o emissor tenha uma conexão de internet com o InvoiCy.

Vale lembrar também, que para o Estado de São Paulo, a contingência offline é proibida por lei.

1 – Realizando testes de simulação em contingência

Para realizarmos os testes, será necessário seguir alguns passos, conforme descrito abaixo.

– Acessar o Painel de Controle do InvoiCy, menu Configurações para Emissão (Módulo NFC-e):

– Na tela de configurações, selecionar a primeira opção de contingência como “offline”, e marcar o campo Ativar simulação de contingência como “SIM”. Salve ao final da página.

– Com o InvoiCy operando em simulação de contingência, já pode ser realizado o envio de uma NFC-e via Conector. Para tal, gere uma NFC-e qualquer e envie o documento ao InvoiCy.

Este documento, deve receber o status 108 – Entrada em contingência sem retorno da SEFAZ.

Neste momento, este primeiro documento será o identificador de que algo de errado aconteceu na comunicação entre InvoiCy e SEFAZ, e a partir das próximas notas emitidas, todas serão emitidas em contingência offline.

Esta nota fiscal que obteve retorno 108, pode tanto ter autorizado na SEFAZ, como simplesmente não ter chegado até lá. Não sabemos o que ocorreu, sabemos apenas que houve algum erro na sua emissão, e não podemos consultá-la, pois o serviço da SEFAZ está inoperante. Esta nota deverá então ser descartada, e uma próxima nota deve ser emitida em seu lugar, com um novo número.

– Após receber o status 108, o procedimento correto é gerar novamente a mesma nota fiscal, porém com o número incrementado em +1. Por exemplo, se a nota emitida que recebeu 108 fosse a nota de número 50, ela deve ser gerada novamente com o número 51, e ser enviada. Esta nota com número 51, será então autorizada em modo offline, e sua aplicação irá receber o retorno 109 – Contingência Offline, com o documento PDF para impressão.

Paralelo à isso, deve ser enviado o pedido de descarte da nota número 50, que recebeu status 108. Para tal, gere a estrutura XML abaixo no diretório de entrada do Conector:

O processamento deste arquivo, irá lhe retornar status 100 – Solicitação de descarte de documento recebido. O InvoiCy agendará então o processamento de descarte do documento 50, e assim que a SEFAZ voltar a operar, providenciará o descarte.

– Todas as próximas notas serão emitidas de forma offline e receberão status 109, até que seja desativada a simulação de contingência nas configurações para emissão do Painel de Controle. Uma vez desativada a simulação, o InvoiCy entende que a SEFAZ voltou a operar, e as próximas notas enviadas após a desativação da simulação, serão emitidas no fluxo normal.

– Após desativação da simulação em contingência, o InvoiCy irá reenviar as notas emitidas em contingência offline, e fará a sincronização destes documentos. Eles ficarão autorizados no InvoiCy. Já o documento inicial, aquele primeiro que recebeu status 108 e que teve pedido de descarte, será consultado pelo InvoiCy para identificar se o mesmo foi autorizado, ou se não consta na base de dados da SEFAZ. Caso o documento foi autorizado, ele será automaticamente cancelado pelo InvoiCy. Se não constar na base da SEFAZ, o documento será inutilizado.

Em caso de dúvidas, contate nossa central de atendimento através do e-mail atendimento@migrate.com.br.

 

Comunicação de uso de Software para emissão de NFC-e no Pará

Última atualização em: 09 de abril, 2018

A Secretaria da Fazenda do Pará, Sefa, passou a exigir que os emissores de NFC-e informem o fornecedor do software utilizado para a emissão de seus documentos. Essa medida foi regulamentada pela Instrução Normativa de nº 06/2018.

A partir do dia 1º de abril de 2018 os fornecedores deverão realizar o seu cadastro, com prazo até junho de 2018. Após esse período poderá acarretar em cobrança de multa.

Para credenciamento:

O Contribuinte deve efetuar seu cadastro junto ao site da Sefa (www.sefa.pa.gov.br), e informar qual dos softwares cadastrados junto ao fisco está sendo utilizado para efetuar a emissão de NFC-e.

1) Acessar o Portal da SEFAZ, em https://app.sefa.pa.gov.br, e clicar na opção TODOS OS SERVIÇOS, conforme na imagem abaixo:

2) Para efetuar o cadastro do contribuinte clique no link correspondente, conforme imagem abaixo:

3) Na tela de login, deve-se informar o certificado digital da sua empresa, através da opção ‘Selecionar certificado’. Após selecionar o certificado clique no botão ‘Entrar’.

Observação: Ao carregar o certificado digital, caso você não tiver a extensão ‘ICPBravo Access’ instalada irá aparecer uma mensagem de aviso, conforme a imagem abaixo, informando que você deverá instalar a mesma no seu navegador. A instalação é bem simples, basta clicar no link da mensagem, baixar a extensão e seguir o passo a passo para concluir a instalação.

4) Na área do contribuinte, pode-se efetuar o cadastro do software utilizado, e ainda consultar pelos softwares já cadastrados.

5) Ao informar um software, deverá informar o CNPJ do seu fornecedor de software, e ao concluir clicar em Salvar.

6) Pronto! Seu software foi cadastrado com sucesso.

Cadastro de fornecedor para emissão de NFC-e no Pará

Última atualização em: 09 de abril, 2018

A Secretaria da Fazenda do Pará, Sefa, passou a exigir que os emissores de NFC-e informem o fornecedor do software utilizado para a emissão de seus documentos. Essa medida foi regulamentada pela Instrução Normativa de nº 06/2018.

A partir do dia 1º de abril de 2018 os fornecedores deverão realizar o seu cadastro, com prazo até junho de 2018. Após esse período poderá acarretar em cobrança de multa.

Para credenciamento:

O Fornecedor (desenvolvedor do sistema) deve efetuar o cadastro de seus produtos junto ao site da Sefa (www.sefa.pa.gov.br), para que os emissores possam informar qual dos softwares cadastrados junto ao fisco será utilizado para efetuar a emissão de NFC-e.

1) Acessar o Portal da SEFAZ, em https://app.sefa.pa.gov.br, e clicar na opção TODOS OS SERVIÇOS, conforme na imagem abaixo:

2) Para efetuar o cadastro de Software NFC-e Fornecedor clique no link correspondente, conforme imagem abaixo:

3) Na tela de login, deve-se informar o certificado digital da sua empresa, através da opção ‘Selecionar certificado’. Após selecionar o certificado clique no botão ‘Entrar’.

Observação: Ao carregar o certificado digital, caso você não tiver a extensão ‘ICPBravo Access’ instalada irá aparecer uma mensagem de aviso, conforme a imagem abaixo, informando que você deverá instalar a mesma no seu navegador. A instalação é bem simples, basta clicar no link da mensagem, baixar a extensão e seguir o passo a passo para concluir a instalação.

4) Será apresentada uma etapa para complementar e validar as informações do fornecedor, conforme imagem abaixo. Ao concluir clique em Avançar.

5) Na sequência será enviada uma chave de acesso para o e-mail informado. Para prosseguir com o cadastro deve-se então informar essa chave de acesso. Informe a chave, clique em ‘CONFIRMAR’ e após em ‘AVANÇAR’.

6) Na sequência será habilitada a etapa para você informar os dados do software, onde deverá informar a descrição do software e clicar em ‘ADICIONAR’. Abaixo serão listados todos os softwares cadastrados, permitindo a remoção dos mesmos quando necessário.

7) Após informar o software, deve-se aceitar os termos de uso do sistema, selecionando a opção ‘Li e aceito os termos’, e então clicar em ‘SALVAR’.

8) Aparecerá então uma mensagem de confirmação solicitando se você deseja mesmo salvar as informações. Pronto! Seu software foi cadastrado com sucesso.