Padrão Tinus Upload

Última atualização em: 20 de maio, 2015

 

O Padrão Tinus Upload tem sua estrutura baseada no modelo ABRASF 1.0, no entanto não tem suporte à tecnologia de Web Services, sendo necessário realizar o upload dos arquivos no site da prefeitura.

A natureza da operação segue a tabela unificada do layout de integração. Outras particularidades são listadas abaixo.

1. Ambiente de homologação

O Usuário deve submeter o arquivo do Lote de RPS através de uma página disponibilizada pela prefeitura, ao acessar a página, o usuário deverá selecionar o arquivo XML gerado e após clicar no botão “Upload Lote RPS Em HOMOLOGAÇÃO”, se não tiver nenhum problema com a estrutura do lote de RPS retornará a seguinte mensagem em tela “ARQUIVO CARREGADO COM SUCESSO!”, juntamente com outras informações referentes ao carregamento do arquivo, caso o arquivo contenha erro(s), o sistema encerrará o processo de upload do Lote RPS e mostrar ao usuário os problemas que ocorreram. O processamento do lote é assíncrono, ou seja, assim que o mesmo é carregado, pode demorar alguns minutos para que o sistema gere as notas fiscais referentes ao arquivo carregado.

2. O sistema não permite:

  • Informar o Intermediário do serviço.
  • Substituição de RPS.
  • Itens da nota.

3. Número e Série do RPS

O Sistema de processamento do lote de RPS não leva em consideração a Série do RPS, porém aconselha-se utilizar sempre a mesma série para fins de controle da numeração pois os números do RPS devem ser sequenciais.

4. Consulta

O sistema permite a consulta das NFS-e geradas e exportação do espelho do RPS para impressão.  O sistema da prefeitura permite também que seja exportado um arquivo XML contendo as informações da NFS-e, para que as notas sejam atualizadas no InvoiCy, é preciso realizar o envio desse arquivo de retorno.

Para enviar o arquivo com as NFS-e para o InvoiCy, utiliza-se o mesmo web service para o Envio do RPS. A diferença nesse caso é que o XML deve conter apenas o Cabeçalho e as tags <Arquivo>,<ExtensaoArquivo>,<CNPJ_Prest> e <tpAmb>. A tag <Arquivo> preenchida com o arquivo da prefeitura codificado em Base64, a tag <ExtensaoArquivo> com a extensão do arquivo, <CNPJ_Prest> com o CNPJ da Empresa e a tag <tpAmb> com o Tipo de Ambiante: 1-Produção e 2-Homologação. O InvoiCy irá realizar o processamento necessário para o padrão e retornar o status do mesmo.

Veja um exemplo de upload.

Para realizar a consulta da NFS-e deve acessar o sistema da prefeitura com as credenciais fornecidas pela mesma, após acessar “Serviços -> NFS-e -> Consulta”.

5. Cancelamento

Só é possível realizar o cancelamento de NFS-e através do sistema da prefeitura, para isso o contribuinte deverá acessar o mesmo com as credenciais que lhe foram fornecidas pela própria prefeitura e seguir o seguinte caminho “Serviços -> NFS-e -> Cancelamento”.

6. Exemplo de XML

Para visualizar um XML de exemplo clique aqui.

Padrão Tinus Upload – Antigo

Última atualização em: 20 de maio, 2015

 

O Padrão Tinus Upload tem sua estrutura baseada no modelo ABRASF 1.0, no entanto não tem suporte à tecnologia de Web Services, sendo necessário realizar o upload dos arquivos no site da prefeitura. Outras particularidades são listadas abaixo:

1. Natureza da Operação

O campo de natureza da operação deverá seguir o padrão do InvoiCy NFS-e abaixo, exceto quando utilizar tabela unificada que deve seguir o layout de integração:

2. Ambiente de homologação

O Usuário deve submeter o arquivo do Lote de RPS através de uma página disponibilizada pela prefeitura, ao acessar a página, o usuário deverá selecionar o arquivo XML gerado e após clicar no botão “Upload Lote RPS Em HOMOLOGAÇÃO”, se não tiver nenhum problema com a estrutura do lote de RPS retornará a seguinte mensagem em tela “ARQUIVO CARREGADO COM SUCESSO!”, juntamente com outras informações referentes ao carregamento do arquivo, caso o arquivo contenha erro(s), o sistema encerrará o processo de upload do Lote RPS e mostrar ao usuário os problemas que ocorreram. O processamento do lote é assíncrono, ou seja, assim que o mesmo é carregado, pode demorar alguns minutos para que o sistema gere as notas fiscais referentes ao arquivo carregado.

3. O sistema não permite:

  • Informar o Intermediário do serviço.
  • Substituição de RPS.
  • Itens da nota.

4. Número e Série do RPS

O Sistema de processamento do lote de RPS não leva em consideração a Série do RPS, porém aconselha-se utilizar sempre a mesma série para fins de controle da numeração pois os números do RPS devem ser sequenciais.

5. Consulta

O sistema permite somente a consulta das NFS-e geradas, não sendo possível exportar nenhum tipo de retorno com as informações sobre a nota, a não ser o Espelho do RPS que pode ser impresso. Desta forma, o InvoiCy não irá atualizar o status das notas que foram geradas através dele.

Para realizar a consulta da NFS-e deve acessar o sistema da prefeitura com as credenciais fornecidas pela mesma, após acessar “Serviços -> NFS-e -> Consulta”.

6. Cancelamento

Só é possível realizar o cancelamento de NFS-e através do sistema da prefeitura, para isso o contribuinte deverá acessar o mesmo com as credenciais que lhe foram fornecidas pela própria prefeitura e seguir o seguinte caminho “Serviços -> NFS-e -> Cancelamento”.

7. Exemplo de XML

Para visualizar um XML de exemplo clique aqui.

Padrão SIGCORP Rio Grande

Última atualização em: 18 de maio, 2015

 

O município de Rio Grande, integrado com o InvoiCy pelo padrão SIGCORP possui algumas particularidades na emissão de NFS-e. As considerações relevantes para a integração são listadas neste artigo.

Diferente da maioria dos padrões integrados, os usuários do padrão SIGCORP-Rio Grande não estão obrigados a utilizar certificado digital para emitirem NFS-e. Por outro lado, é necessário informar o usuário e senha de acesso ao sistema de ISS da prefeitura no cadastro da empresa, pois estas informações são necessárias durante a comunicação com o web service da prefeitura.

O padrão não permite informar substituição de NFS-e.

1. Natureza da Operação

Verificar no layout de envio quais os valores aceitos para natureza da operação (tabela unificada).

2. Forma de Pagamento

Informar o valor 1 – A vista ou 2 – A prazo.

3. Tipo de Obra

Quando a atividade (item lista de serviço) for 7.02 é obrigatório informar o campo tipo de obra.

4. Endereço do Intermediário

Apesar de opcional, quando o intermediário não está cadastrado no site da prefeitura é necessário informar o endereço, caso não possuir intermediário não é necessário informar.

5. Forma de Pagamento

Os valores aceitos para forma de pagamento são:

Forma Pagamento

6. Exemplo XML

Para visualizar um exemplo de XML de envio contendo os campos obrigatórios e que serão enviados para a prefeitura clique aqui.

Incluindo usuário já existente em uma nova empresa

Última atualização em: 12 de maio, 2017

 

Os processos da Plataforma InvoiCy foram implementados de forma a facilitar as atividades dos usuários que interagem com a aplicação. Pensando nisso, foi disponibilizada uma opção para realizar o vínculo de usuários já existentes com novas empresas cadastradas na aplicação. Neste artigo iremos descrever os passos necessários para utilizar essa funcionalidade, destacando que a mesma está disponível apenas para usuários do tipo Parceiro.

Proceda com os seguintes passos para vincular um usuário já existente em uma nova empresa cadastrada.

Ao fazer login com o seu usuário na Plataforma InvoiCy, acessar a tela inicial e no grupo ‘Configurações do Parceiro’ clicar na opção ‘Usuários’, como demonstra a imagem a seguir.

Na tela de Usuários do Parceiro, buscar através dos filtros o usuário já cadastrado que deseja-se vincular a nova empresa e clicar na opção de editar o usuário, como demonstra a imagem a seguir.

Na tela de edição do usuário é possível visualizar todas as empresas que este usuário está vinculado, e ainda fazer o vínculo de novas empresas, através do botão ‘Vincular empresas’, como destaca a imagem abaixo.

Ao clicar nesse botão será aberta uma tela com a listagem de todas as empresas do parceiro, permitindo selecionar várias empresas ao mesmo tempo para vincular ao usuário.

Ao vincular para outra empresa um usuário que já tenha permissões de acesso configuradas, automaticamente o mesmo será criado na tela de usuários da empresa, juntamente com suas permissões de acesso.

Para desvincular o usuário de uma empresa, basta acessar a tela de usuários do parceiro, editar o usuário desejado e excluir a empresa que deseja desvincular, conforme demonstra a imagem abaixo.

Fazendo uso dessa funcionalidade, não é necessário realizar o cadastro de um novo usuário para cada nova empresa cadastrada, basta efetuar o vínculo dos usuários que já estão cadastrados na aplicação.

Padrão Prescon – Antigo

Última atualização em: 15 de maio, 2015

 

O padrão Prescon não segue nenhum modelo ABRASF, o mesmo também não tem suporte à tecnologia de Web Services, fazendo dele um padrão do tipo Upload de arquivo, onde os arquivos XML devem ser carregados no sistema da prefeitura, devido a isso, existem algumas particularidades, as quais estão listadas abaixo:

1. Ambiente de homologação

Não há um ambiente de homologação, porém existe um serviço que permite efetuar o carregamento de arquivo XML apenas para testes, ou seja, serve para validar se a estrutura está correta, não convertendo os RPSs do lote em NFS-e. Esta funcionalidade do sistema pode ser acessada através do menu: ‘Área de Validação -> Valida Estrutura do XML’.

2. O sistema não permite:

  • Envio de RPS sem tomador.
  • Informar o Intermediário do serviço.
  • Substituição de RPS.
  • Mais de um Item em cada nota.

3. Exportação

A prefeitura permite a exportação do arquivo XML referente à emissão da NFS-e, onde este pode ser importado no InvoiCy a fim de atualizar o status da NFS-e dentro do mesmo. A Exportação dos arquivos XML será possível se o usuário estiver logado como Prestador, a exportação pode ser feita na tela de consulta de NFS-e.

4. Cancelamento

Para realizar o cancelamento de uma NFS-e, o tomador do serviço deve estar cadastrado no sistema da prefeitura, pois o mesmo deverá consentir com o cancelamento, o caminho para a confirmação do cancelamento é: “Página Inicial do Sistema -> Área do Tomador -> Login -> Lançamento de NFS-e -> Confirmar Cancelamento de N.F.”

5. XML de Exemplo

Para visualizar um exemplo de XML enviado ao InvoiCy NFS-e clique aqui.

Padrão Prescon

Última atualização em: 15 de maio, 2015

 

O padrão Prescon não segue nenhum modelo ABRASF, o mesmo também não tem suporte à tecnologia de Web Services, fazendo dele um padrão do tipo Upload de arquivo, onde os arquivos XML devem ser carregados no sistema da prefeitura, devido a isso, existem algumas particularidades, as quais estão listadas abaixo:

1. Ambiente de homologação

Não há um ambiente de homologação, porém existe um serviço que permite efetuar o carregamento de arquivo XML apenas para testes, ou seja, serve para validar se a estrutura está correta, não convertendo os RPSs do lote em NFS-e. Esta funcionalidade do sistema pode ser acessada através do menu: ‘Área de Validação -> Valida Estrutura do XML’.

2. O sistema não permite:

  • Envio de RPS sem tomador.
  • Informar o Intermediário do serviço.
  • Substituição de RPS.
  • Mais de um Item em cada nota.

3. Exportação

A prefeitura permite a exportação do arquivo XML referente à emissão da NFS-e, onde este pode ser importado no InvoiCy a fim de atualizar o status da NFS-e dentro do mesmo. A Exportação dos arquivos XML será possível se o usuário estiver logado como Prestador, a exportação pode ser feita na tela de consulta de NFS-e.

4. Cancelamento

Para realizar o cancelamento de uma NFS-e, o tomador do serviço deve estar cadastrado no sistema da prefeitura, pois o mesmo deverá consentir com o cancelamento, o caminho para a confirmação do cancelamento é: “Página Inicial do Sistema -> Área do Tomador -> Login -> Lançamento de NFS-e -> Confirmar Cancelamento de N.F.”

5. XML de Exemplo

Para visualizar um exemplo de xml enviado ao InvoiCy BR clique aqui.

Padrão Tecnos

Última atualização em: 08 de maio, 2015

O padrão Tecnos apresenta as seguintes diferenças em relação ao padrão ABRASF:

1. Responsável Retenção

O responsável retenção (RespRetencao) é obrigatório no padrão Tecnos. Se ISS Retido = Não, é preciso enviar 1. Caso contrário, deve-se enviar uma das opções abaixo:
1-Tomador
2-Intermediário

2. Intermediário

É possível informar um intermediário do serviço, porém a prefeitura não valida esta possibilidade.

3. Substituição

Não é possível efetuar uma substituição de NFS-e.

4. Lotes de RPS

O número do lote é sequencial na prefeitura, portanto caso ocorra erros em um lote, os mesmos deverão ser corrigidos para possibilitar a emissão de novos lotes.

5. Exemplo XML

Para visualizar um XML de exemplo clique aqui.

Padrão SEMFAZ

Última atualização em: 05 de maio, 2015

 

O padrão SEMFAZ segue o modelo ABRASF 2.0, porém possui algumas particularidades listadas abaixo.

1. Regime Especial de Tributação

Os valores aceitos para regime especial de tributação são listados na tabela abaixo:

OBS: Você deve SEMPRE enviar o Código InvoiCy, e não o código prefeitura. O InvoiCy converte no código prefeitura.

2. Impressão de Espelho de NFS-e no modelo da prefeitura

O link do espelho pdf da nota gerado diretamente no sistema da prefeitura requer autenticação do usuário. Portanto, sempre que for imprimir neste modelo é necessário estar com uma sessão de usuário ativa no sistema SEMFAZ de Porto Velho/RO utilizando um navegador (ex: Internet Explorer, Chrome, Firefox, Opera).

3. Substituição e Cancelamento de NFS-e

O padrão SEMFAZ não permite substituição e Cancelamento de NFS-e através de web services.

4. Tomador Estrangeiro

O padrão não permite informar dados sobre um tomador de fora do país, visto que é obrigatório informar o código de município do IBGE. Neste caso recomendamos emitir sem informar o tomador.

5. Exemplo XML

Segue um exemplo de XML de envio contendo os campos obrigatórios e que serão enviados para a prefeitura. Para visualizar um XML de exemplo clique aqui.

Obs: O município de incidência informado no XML será recebido pela prefeitura apenas se a natureza da operação for tributado no município, exigibilidade suspensa por decisão judicial ou suspensa por processo administrativo.

Padrão FacilitaISS

Última atualização em: 05 de maio, 2015

 

O padrão FacilitaISS apresenta as seguintes diferenças em relação ao padrão ABRASF:

1. Intermediário

É possível informar um intermediário do serviço, porém a prefeitura não valida esta possibilidade.

2. Série

A série do RPS deve conter apenas números.

3. CNPJ do Certificado Digital

Caso o CNPJ do certificado digital utilizado para emissão, for diferente do CNPJ do contribuinte na prefeitura, o mesmo deverá ser informado no campo ‘Usuário Autent.’, no cadastro de empresas. Obs.: Esta situação geralmente ocorre quando é utilizado apenas um único certificado digital para a matriz e para todas as filiais da empresa em outros municípios.

4. Ambiente de Produção.

Antes de iniciar a emissão no ambiente de produção é necessário realizar testes de emissão  e cancelamento em homologação. Posteriormente, é necessário solicitar a habilitação de emissão em produção diretamente no sistema online do município, conforme descrito em http://suporte.notainteligente.com/knowledgebase.php?article=7.

Se após isso a nota rejeitar com a mensagem “Não autorizado para transmissão”, ainda é necessário autorizar a emissão via web service, o que pode ser feito através do chat do sistema online do município.

5. Cancelamento de NFS-e fora do InvoiCy

Caso for realizado o cancelamento de uma NFS-e via prefeitura, é necessário solicitar o Cancelamento via InvoiCy, que atualizará o status da NFS-e para Cancelada.

Obs.: A consulta de uma NFS-e via InvoiCy para atualizar o status da mesma para Cancelada não funciona, uma vez que o arquivo xml de retorno da prefeitura não traz o grupo ‘NfseCancelamento’ e ainda não atualiza o status do RPS para cancelado.

6. Exemplo XML

Para visualizar um XML de exemplo clique aqui.

Configurando exportador de documentos para FTP

Última atualização em: 03 de janeiro, 2018

 

A Plataforma InvoiCy foi adequada de forma a atender a necessidade do cliente de realizar a exportação automática dos arquivos XML de CF-e SAT e NFC-e emitidas para um diretório FTP, onde terá a possibilidade de configurar os dados do diretório FTP de acordo com sua preferência.

Porém, é importante destacar que o InvoiCy trabalha apenas com o SFTP, que utiliza segurança SSH para garantir a segurança dos dados trafegados, pois se utilizar o FTP normal os dados trafegados serão públicos.

Para configurar os parâmetros da exportação automática e informar os dados do FTP basta acessar o “Painel de Controle”, localizado no menu a esquerda da tela inicial, como destacado na imagem abaixo.

Na tela do Painel de Controle, representada na imagem a seguir, acessar a opção “Exportação Automática”, junto as demais opções do Módulo NFC-e.

Na tela de “Exportação”, representada na imagem abaixo, é possível configurar os dados do Servidor FTP, como Host, Porta do servidor, Usuário e Senha, e ainda definir o diretório para exportação dos arquivos no FTP. É importante destacar também que ao executar o processo de exportação o InvoiCy irá gerar um arquivo de teste (testeFTP.txt) no FTP, para verificar se obteve sucesso na conexão com o FTP configurado, caso contrário irá gravar logs na aplicação relatando as falhas ocorridas.

Após configurar os dados do Servidor FTP o usuário pode definir se a empresa irá exportar os arquivos de forma automática ou não, definindo o tipo de exportação, por período ou intervalo de tempo.

Quando o processo de exportação for executado serão baixados apenas os arquivos com status Autorizado, Cancelado, Inutilizado e Denegado. Se a exportação for por período, todos os arquivos serão compactados em uma pasta .zip e armazenados no endereço do diretório FTP configurado. A nomenclatura padrão do arquivo .zip gerado será: CNPJ_DATAHORAEXPORTADA.zip, exemplo, 99999999000191_20102014100442.zip.

Será gerado ainda um relatório com os totalizadores de todos os documentos que foram exportados pela empresa, por status. O mesmo será armazenado junto com o arquivo .zip no diretório do FTP, com a seguinte nomenclatura: CNPJ_DATAHORAEXPORTADA.pdf. A Figura a seguir demonstra um modelo deste relatório.

Relatório arquivos exportados

Já se o tipo de exportação for por intervalo de tempo, os arquivos serão enviados abertos e salvos no diretório FTP configurado, e nenhum relatório será gerado.

Ao optar por intervalo de tempo deve-se definir o tamanho máximo do lote, ou seja, quantos arquivos serão executados a cada exportação. Destacando que essa configuração é por Parceiro, e o valor padrão é 100. Também deve-se informar para cada empresa um endereço de e-mail para que o Parceiro possa receber informações sobre o processo de exportação. E através da opção “Exportar documentos rejeitados?”, o usuário poderá escolher se deseja exportar também os documentos com status rejeitado.

Após 6 tentativas de exportação, se ocorrer falha o Parceiro será comunicado através desse endereço de e-mail, e também no e-mail que está configurado nos dados da empresa.

Quando o tipo de exportação for por intervalo de tempo, os documentos são enviados individualmente para a fila de exportação. O processo de exportação irá buscar os documentos pendentes na fila e exportar a quantidade configurada no lote.

Já ao escolher a opção de exportação por período, o Parceiro poderá escolher um período de exportação dentre as opções “Ontem, Anteontem, 3 dias atrás, 4 dias atrás ou 5 dias atrás”, e poderá escolher ainda se o período será com base na data de emissão ou inclusão dos documentos.

Quando a exportação for por período, irá buscar todos os documentos do período agendado, e incluir um único processo de exportação na fila. O usuário poderá ainda escolher se deseja exportar também os documentos com status rejeitado, através da opção “Exportar documentos rejeitados?”.

Se a empresa desejar exportar os arquivos de um período diferente ou do dia atual poderá fazer uso da Exportação Manual, como representa a figura abaixo

Nesse processo de Exportação Manual, ao clicar no botão “Incluir”, poderá criar uma exportação definindo o período inicial e final do intervalo de exportação, conforme a imagem abaixo. Ao criar uma nova exportação, seu status será definido automaticamente como “Não Iniciado”.

O processo de exportação manual ficará rodando e gerando a exportação de todos os documentos vinculados ao período informado, e que esteja com status “Não iniciado”. Ao concluir o processo será alterado o status de acordo com o resultado final da exportação, “Erro” em caso de falha, e “Concluído” em caso de sucesso. 

No processo de exportação manual, os documentos serão exportados de acordo com a data configurada, mesmo que em paralelo exista um agendamento para a exportação automática, que deverá rodar normalmente. Desta forma, se gerar alguma exportação manual a data do agendamento automático não será afetada pela data informada no processo manual.

É possível ainda gerar um relatório com os totalizadores de todos os documentos que foram exportados pela empresa, por status. Para obter mais informações sobre a geração de relatórios, leia o artigo Relatórios FTP.